Nosso pai – mais que um exemplo- uma ESTRELA a iluminar caminhos

Em 9 de julho de 1949, o português Carlos Martins Frio chegava à Princesa do Sul, trazendo em sua bagagem algumas garrafas de vinho verde e do Porto e um sonho: ser seu próprio patrão.

A intenção era estabelecer-se com um pequeno comércio, do tipo bar ou mercearia, mas a proposta do irmão Antônio para a sociedade em uma padaria o seduziu. E Pelotas conheceu a Padaria Estrela.

De lá para cá, passaram-se 60 anos. Um passado de lutas, sacrifícios, conquistas e acima de tudo bons exemplos. Sim, porque reverenciar a obra e a memória de nosso pai é falar de gente que segue o coração e acorda feliz com a oportunidade de viver mais um dia.

É falar de gente que trabalha com competência, ama com generosidade. É falar de gente comum que consegue se realizar com muita simplicidade, sem barulho nem fogos de artifício.

É falar de um homem que fugia dos holofotes, sem saber que o grande brilho vinha de dentro de si. Nosso pai não foi um herói. Foi e para sempre será um homem de infinito valor.

É dele a honra e o mérito da Padaria Estrela ser sinônimo dos melhores biscoitos e dos famosos dentinhos. A nós, seus filhos, cabe o privilégio de manter vivo não somente o sucesso, mas a vocação de produzir o pão nosso de cada dia, que sustenta o corpo para também tocar a alma.

Não importa a nós o título de bacharéis que os diplomas universitários nos conferiram. Importa-nos verdadeiramente o amor e a responsabilidade que devotamos a cada dia à camiseta Padaria Estrela. Economista, jornalista, professor, contador, advogado unem-se em busca de tecnologias para melhorar o fabrico e encantar clientes, funcionários e fornecedores.

Que Deus nos conceda força, coragem e saúde para seguirmos fiéis à missão por Carlos Frio a nós confiada. E que de onde quer que ele esteja, possa sorrir.

Em 29/07/2009     Missa de Ação de Graças  pelo Aniversário


Deixe um comentário